Quem somos

Conheça a nossa proposta!

Por que igreja?


A igreja é uma ideia de Deus. Ele criou a Igreja!

A Assembleia de Deus Ministério Semeadores de Boas Novas crê que a igreja Local é o núcleo vital para um serviço eficaz na compreensão e serviço do ideal de igreja, conforme diz a Bíblia. A igreja local não pode ser confundida com o templo (prédio) ou com suas instalações. A igreja local é uma rede de pessoas comprometidas em realizar o trabalho de Deus.

Cremo que a Igreja tem três objectivos claros:

  1. Conduzir as pessoas a Cristo; 
  2. Propiciar um ambiente para a comunhão entre os crentes, que perpetuem em suas vidas valores idênticos ao amor a Deus;  
  3. E, de modo eficaz, preparar e alimentar espiritualmente as pessoas, a visar o seu crescimento e amadurecimento espiritual;


Em que cremos?


A fundamentação doutrinária da Assembleia de Deus MSBN se assenta sobre as doutrinas essenciais reveladas na Bíblia. Estas doutrinas são sintetizadas na DECLARAÇÃO DE FÉ para facilitar a confissão de fé pública. São elas:



1. Na inspiração divina verbal e plenária da Bíblia Sagrada, única regra infalível de fé e prática para a vida e o caráter cristão (2 Tm 3.14-17);


2. Em um só Deus, eternamente subsistente em três pessoas distintas que, embora distintas, são iguais em poder, glória e majestade: o Pai, o Filho e o Espírito Santo; Criador do Universo, de todas as coisas que há nos céus e na terra, visíveis e invisíveis, e, de maneira especial, os seres humanos, por um ato sobrenatural e imediato, e não por um processo evolutivo (Dt 6.4; Mt 28.19; Mc 12.29; Gn 1.1; 2.7; Hb 11.3 e Ap 4.11);


3. No Senhor Jesus Cristo, o Filho Unigênito de Deus, plenamente Deus, plenamente Homem, na concepção e no seu nascimento virginal, em sua morte vicária e expiatória, em sua ressurreição corporal dentre os mortos e em sua ascensão vitoriosa aos céus como Salvador do mundo (Jo 3.16- 18; Rm 1.3,4; Is 7.14; Mt 1.23; Hb 10.12; Rm 8.34 e At 1.9);

4. No Espírito Santo, a terceira pessoa da Santíssima Trindade, consubstancial com o Pai e o Filho, Senhor e Vivificador; que convence o mundo do pecado, da justiça e do juízo; que regenera o pecador; que falou por meio dos profetas e continua guiando o seu povo (2 Co 13.13; 2 Co 3.6,17; Rm 8.2; Jo 16.11; Tt 3.5; 2 Pe 1.21 e Jo 16.13);

5. Na pecaminosidade do homem, que o destituiu da glória de Deus e que somente o arrependimento e a fé na obra expiatória e redentora de Jesus Cristo podem restaurá-lo a Deus (Rm 3.23; At 3.19);

6. Na necessidade absoluta do novo nascimento pela graça de Deus mediante a fé em Jesus Cristo e pelo poder atuante do Espírito Santo e da Palavra de Deus para tornar o homem aceito no Reino dos Céus (Jo 3.3-8, Ef 2.8,9);

7. No perdão dos pecados, na salvação plena e na justificação pela fé no sacrifício efetuado por Jesus Cristo em nosso favor (At 10.43; Rm 10.13; 3.24-26; Hb 7.25; 5.9);

8. Na Igreja, que é o corpo de Cristo, coluna e firmeza da verdade, una, santa e universal assembleia dos fiéis remidos de todas as eras e todos os lugares, chamados do mundo pelo Espírito Santo para seguir a Cristo e adorar a Deus (1 Co 12.27; Jo 4.23; 1 Tm 3.15; Hb 12.23; Ap 22.17);

9. No batismo bíblico efetuado por imersão em águas, uma só vez, em nome do Pai, e do Filho, e do Espírito Santo, conforme determinou o Senhor Jesus Cristo (Mt 28.19; Rm 6.1-6; Cl 2.12);

10. Na necessidade e na possibilidade de termos vida santa e irrepreensível por obra do Espírito Santo, que nos capacita a viver como fiéis testemunhas de Jesus Cristo (Hb 9.14; 1 Pe 1.15);

11. No batismo no Espírito Santo, conforme as Escrituras, que nos é dado por Jesus Cristo, demonstrado pela evidência física do falar em outras línguas, conforme a sua vontade (At 1.5; 2.4; 10.44-46; 19.1-7);

12. Na atualidade dos dons espirituais distribuídos pelo Espírito Santo à Igreja para sua edificação, conforme sua soberana vontade para o que for útil (1 Co 12.1-12);

13. Na segunda vinda de Cristo, em duas fases distintas: a primeira — invisível ao mundo, para arrebatar a sua Igreja antes da Grande Tribulação; a segunda — visível e corporal, com a sua Igreja glorificada, para reinar sobre o mundo durante mil anos (1 Ts 4.16, 17; 1 Co 15.51-54; Ap 20.4; Zc 14.5; Jd 1.14);

14. No comparecimento ante o Tribunal de Cristo de todos os cristãos arrebatados, para receberem a recompensa pelos seus feitos em favor da causa de Cristo na Terra (2 Co 5.10);

15. No Juízo Final, onde comparecerão todos os ímpios: desde a Criação até o fim do Milênio; os que morrerem durante o período milenial e os que, ao final desta época, estiverem vivos. E na eternidade de tristeza e tormento para os infiéis e vida eterna de gozo e felicidade para os fiéis de todos os tempos (Mt 25.46; Is 65.20; Ap 20.11-15; 21.1-4).

16. Cremos, também, que o casamento foi instituído por Deus e ratificado por nosso Senhor Jesus Cristo como união entre um homem e uma mulher, nascidos macho e fêmea, respectivamente, em conformidade com o definido pelo sexo de criação geneticamente determinado (Gn 2.18; Jo 2.1,2; Gn 2.24; 1.27).



NOSSA HISTÓRIA

“...e disse: Até aqui nos ajudou o Senhor” I Sm 7.12


Em 2017 completamos 16 anos de atividades em Portugal.

Apesar de sermos tão recentes em solo português, nossa história como as outras são cheias de detalhes, porém aqui vai um resumo:
Após visitar Portugal e ao ver a necessidade de enviar missionários para cooperar com a evangelização do país, o Pastor António Domingos dos Santos, sentiu o desejo de iniciar um Projeto Missionário na Europa. 

O trabalho missionário desta igreja em Portugal iniciou de forma oficial no dia 17 de Outubro de 2001, quando chegou ao país o pastor Almir Gomes dos Santos, acompanhado de João Batista dos Santos. Inicialmente, estes irmãos ficaram hospedados na casa de Getulio Caxias dos Santos, o qual trabalhou, e muito, na orientação dos recém chegados e na formação inicial da igreja. 

Imediatamente os missionários já iniciaram suas atividades de evangelização, visitação e reuniões nas casas. Os primeiros cultos de Ceia com os primeiros membros da igreja, foram na casa  de António Santos Bispo e Larissa Chaves Ribeiro, na localidade de Azambuja. 

Em 26 de Dezembro de 2001, foi alugado o primeiro salão para facilitar a acomodação dos novos convertidos e membros, sendo este na Rua Direita de Povos, nº 96 1º Esquerdo, no bairro de Povos em Vila Franca de Xira. Atualmente o nome desta rua é: José da Costa e Silva. Este local abrigou a sede nacional por 7 anos. 

Logo a igreja começou a expandir no território português e foram instaladas casas de oração em: Ericeira (Maio de 2002), Faro (Dezembro de 2003), Malveira (Janeiro de 2004), São Braz do Alportel (Fevereiro de 2004), Paço de Arcos (Novembro de 2004), Silveira (Janeiro de 2005), Salvaterra de Magos (Abril de 2005), Azambuja (Agosto de 2005), Fernão Ferro (Setembro de 2005), além de outras localidades como: Cascais e Alcabideche. 

As igrejas foram sendo abertas conforme as oportunidades surgiam e cuidadas pelo trabalho de inúmeros homens que fazem parte desta história, dentre eles missionários enviados pela Assembleia de Deus em Guarapuava, no Estado do Paraná-Brasil, como: Gilson Carlos de Oliveira, Pedro Borges do Amaral, Daniel Ramos, Gilson Feder e Vilmar Francisco Natal. 

No dia 16 de Julho de 2006, assumiu o pastorado da igreja em Portugal o Pastor Josué Moreira, também enviado como missionário pela igreja de Guarapuava - PR – Brasil. A igreja continuou com seu projeto de expansão com implantação de igrejas, e iniciou em Beja (Outubro de 2006), Carregado (Setembro de 2007), Benavente (Janeiro 2009), Várzea de Sintra (Abril de 2009), Lisboa e Sobreiro (Julho de 2009), Mafra (2009), e no mês de Janeiro de 2010 transferiu a sede nacional para  o centro de Vila Franca de Xira, na Rua dos Bombeiros Voluntários nº 40. Ainda foram abertas as igrejas de Povos (Janeiro de 2010), e Ilha de Porto Santo (Maio de 2011). Com o passar dos anos algumas destas congregações tiveram de ser encerradas ou transferidas para outras localidades.

Em Dezembro de 2014, nossa sede foi mais uma vez transferida. Desta feita, para a rua Almeida Garrett nº 32, mas está a manter o foco de ser um lugar onde as pessoas encontrem amor, aceitação e proximidade com Deus.

Nestes 16 anos que serão celebrados ao final de 2017, podemos dizer com toda segurança “...Até aqui nos ajudou o Senhor” (I Sm 7.12). 

Ainda há muitas localidades em Portugal sem uma igreja evangélica e precisam ser alcançadas, e por isto, há muito por fazer.